Aumente a fonte para leitura: A A A A
Aumente a fonte para leitura

Para Sindepol, com redução do déficit de delegados, Polícia Civil desempenhará trabalho de ainda maior qualidade – VEJA EDITAL

Confira o EDITAL: Clique aqui

Para o Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de Goiás (Sindepol), a publicação, nesta terça-feira (15), do edital do concurso que prevê 100 vagas para delegados vai ao encontro de articulação liderada pelo próprio Sindepol nos últimos anos, sempre com o intuito de suprir o déficit de profissionais nos quadros da Polícia Civil do Estado de Goiás. As inscrições serão abertas às 10h do dia 12 de junho e a remuneração prevista para o cargo é de R$ 19.242,52. O valor da inscrição será de R$ 200.

“Esta é uma luta que foi encampada pelo sindicato há quase dois anos ao lado do delegado-geral da época, Álvaro Cássio dos Santos. Juntos, visitamos prefeituras, Câmaras de Vereadores, deputados e secretários de Estado até chegarmos ao gabinete do então governador Marconi Perillo e do vice-governador José Eliton”, relembra a presidente do Sindepol, Silvana Nunes Ferreira.

Segundo ela, o objetivo deste périplo era detalhar levantamentos que mostravam claramente o déficit expressivo de delegados em Goiás, além de outros dados que comprovavam a urgente necessidade de o governo do Estado realizar concurso público. A título de ilustração, há um estudo de 2017 que mostra que 66% dos municípios goianos não tem nenhum delegado de polícia, como Aragoiânia, Abadia de Goiás e São Domingos.

“As 100 vagas que serão ofertadas neste certame irão desafogar bastante a sobrecarga a que a maioria dos delegados – tanto da capital, mas principalmente os do interior – está submetida atualmente. Mesmo assim, o déficit ainda não será suprido. Há a necessidade de se instalar Centrais de Flagrantes nas Delegacias Regionais (são 17, ao todo) mais populosas e cobrir a falta de efetivo nas delegacias da Capital”, destaca Silvana.

De acordo com a presidente do Sindepol, “um dos maiores enfrentamentos” das Polícias Civis de todo o País se refere ao acúmulo de demandas e de investigações “perante efetivo deficitário”. “A partir do momento em que vemos a possibilidade desse efetivo aumentar, vislumbramos também a oferta de um trabalho de maior qualidade, o que fortalece nossa instituição. A Escola Superior da Polícia Civil de Goiás (ESPC), uma das mais qualificadas do País, terá essa missão de formar esses 100 novos delegados”, finaliza.

Fiscalização
A presidente do Sindepol diz ainda que o sindicato estará atento e cobrará, tanto da Universidade Estadual de Goiás (UEG), instituição escolhida para realizar o concurso, quanto da própria Polícia Civil, fiscalização rigorosa do processo seletivo, já que no ano passado um certame foi cancelado após a Polícia Civil investigar e descobrir tentativa de fraude que contou com envolvimento de funcionários da empresa responsável pelo concurso que previa 36 vagas para delegados.

“Vamos acompanhar de perto e exigir de todos os envolvidos mais rigor na fiscalização. Não vamos tolerar nem aceitar junto aos nossos quadros aqueles que tentarem entrar pelas portas dos fundos”.