Operação Mercúrio: DECAR recupera 15 toneladas de gêneros alimentícios

“Essa quadrilha age com extrema violência. O motorista do caminhão devia dinheiro aos criminosos e por isso foi convencido a pegar este frete e a repassar a carga aos criminosos para quitar sua dívida”, conta o delegado Alex Vasconcelos


A Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (DECAR) deflagrou, na tarde do último sábado (30), a Operação Mercúrio, que culminou na prisão de quatro pessoas e na recuperação de 15 toneladas de gêneros alimentícios. O DELEGADO ALEX VASCONCELOS atendeu a imprensa nesta segunda-feira (2). “Essa quadrilha age com extrema violência. O motorista do caminhão devia dinheiro aos criminosos e por isso foi convencido a pegar este frete e a repassar a carga aos criminosos para quitar sua dívida”, disse ele à Rádio CBN Goiânia.

Thiago Braz de Lima (30), Renata Gomes Botelho Martins (35), Adriano Pereira da Silva (22) e Carlos Alberto de Sousa (51) foram presos enquanto descarregavam uma carreta em um imóvel situado no setor Santos Dumont, em Goiânia. “Eles que escolheram o tipo de carga que o motorista (Carlos) transportaria, pois já tinham compradores em vista para os sucos em caixa que seriam transportados”, complementou o delegado.

No momento da abordagem, Thiago tentou empreender fuga lançando um veículo contra os policiais, que repeliram a injusta agressão: o criminoso foi baleado e levado ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol), onde passou por cirurgia. Em seguida, foi transferido para a carceragem.

GOLPE

Chamou a atenção dos policiais o fato de que Carlos Alberto de Souza fora contratado como motorista pela empresa da vítima para levar a carga da cidade de Hidrolândia (GO) à Fortaleza (CE). Ele forjou um roubo, alegando que fora abordado por criminosos na cidade de Uruaçu (GO), mas as investigações apontaram que ele vendeu a carga por R$ 11 mil reais ao bando, fato este confessado pelo motorista após sua prisão.

Carlos teve seu caminhão, que transportava a carga, apreendido pela DECAR. Foram apreendidos ainda uma arma de fogo calibre 12, munições, três veículos e um jammer, equipamento utilizado pelos criminosos para bloquear sinais de localização de veículos e cargas.

Thiago, Renata e Adriano foram autuados por associação criminosa armada e receptação qualificada, sem prejuízo dos demais crimes que já vinham sendo investigados.  Carlos foi indiciado por furto qualificado. O grupo de criminosos já estava sendo investigado por outros três crimes ocorridos em Piracanjuba (27 de janeiro), Luziânia (11 de abril) e em Cocalzinho (5 de junho), todos neste ano e tendo como alvo gêneros alimentícios.

Com esta apreensão, foram mais de 50 toneladas de produtos roubados e furtados por esta associação criminosa e recuperados pela DECAR, superando a cifra de R$ 1 milhão.

*Informações da Coordenação de Comunicação da Polícia Civil e da Rádio CBN Goiânia (97,1).