GAB/DEIC participa de operação que prende suspeitos de quatro explosões de caixas eletrônicos em Goiás

Delegado Samuel Moura informou que eles planejavam mais duas ações nos próximos dias


Nove homens e três mulheres foram presos suspeitos de participar da explosão de caixas eletrônicos de um banco em Nova Crixás, município da região Norte do Estado localizado a 380 quilômetros da Capital. De acordo com o DELEGADO SAMUEL MOURA, titular do GRUPO ANTIRROUBO A BANCO da DELEGACIA ESTADUAL DE INVESTIGAÇÕES CRIMINAIS (GAB/DEIC), o grupo – comandado por dois homens que já estavam no sistema prisional – planejava mais duas ações nos próximos dias.

Batizada de INTEGRAÇÃO 1, a operação foi realizada por policiais civis e militares. Além de policiais do GAB/DEIC, também participaram homens do GT3.

As prisões aconteceram ao longo da segunda-feira (21) e na madrugada desta terça-feira (22). Os policiais apreenderam um carro que foi usado em algumas ações, três artefatos explosivos caseiros e uma arma de fogo calibre .40. O grupo é suspeito de participar de quatro ações: uma em Morrinhos (novembro), outra em Goianésia (em 20 de dezembro – iniciaram a ação, mas abortaram porque a agência tinha sistema de fumaça), e novamente em Morrinhos (dia 21 de dezembro). A de Nova Crixás foi no dia 10 de janeiro último.

  • ESQUEMA
    A organização criminosa começou a ser investigada após a primeira ação em Morrinhos. De acordo com o DELEGADO SAMUEL MOURA, um preso da Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia, e outro detento da Unidade Prisional de Morrinhos são os chefes do esquema.

As mulheres eram usadas para passar em veículos próximo aos locais das ações para verificar o policiamento e filmar as unidades. Uma delas era namorada de um dos detentos. Já os homens participavam tanto das explosões quanto dos levantamos das cidades em que o grupo agiria.

Os presos durante a operação devem responder por posse de artefato explosivo, organização criminosa, furto qualificado e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito.

*Com informações do G1 Goiás e da Comunicação Setorial da SSP-GO.