DIH: Preso homem que jogou álcool e ateou fogo na companheira, em São Paulo (SP)

Operação foi coordenada pelas DELEGADAS MYRIAN VIDAL e MARCELA ORÇAI


A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da DELEGACIA ESTADUAL DE INVESTIGAÇÃO DE HOMICÍDIOS (DIH), com apoio da GERÊNCIA DE OPERAÇÕES DE INTELIGÊNCIA (GOI), prendeu preventivamente Alex Alexandre Ferreira no último dia 19 de julho. Ele é processado criminalmente pelo feminicídio de sua ex-companheira, Sheron Chaves Monteiro, que tinha 34 anos, no dia 8 de outubro de 2018, em São Paulo (SP).

Alex jogou álcool e ateou fogo contra a vítima, deixando-a trancada em seu quarto e empreendido fuga. Sheron permaneceu por cerca de 17 horas no local, com mais de 70% do corpo queimado, até que uma vizinha lhe prestou socorro. Ela não resistiu aos ferimentos e foi a óbito quatro dias depois.

Alex fugiu para Goiás, até que equipes da Polícia Civil lograram êxito nas diligências e realizaram sua prisão. A operação foi coordenada pelas DELEGADAS MYRIAN VIDAL e MARCELLA ORÇAI. A GOI, que deu total apoio ao trabalho da DIH, tem como titular o DELEGADO VINÍCIUS TELES.

“Ele mudou completamente a fisionomia, cortou o cabelo, tirou a barba e tentava levar uma vida normal por aqui, como se nada tivesse acontecido”, relatou a delegada Marcela Orçai, adjunta da DIH.

Em depoimento prestado à policia, Alex Alexandre inicialmente disse que um botijão de gás havia explodido e queimado ele e a namorada, mas, depois de entrar em várias contradições, confessou que jogou álcool em Sheron, porém, alegou que o incêndio foi provocado pela própria mulher, que teria acendido um cigarro para fumar.

Contudo, o marceneiro ficou em silêncio quando foi perguntado porque manteve a namorada presa em um quarto durante 17 horas, antes de levá-la para o hospital. Enquanto aguarda a transferência para São Paulo, Alex Alexandre, que foi indiciado por feminicídio, ficará preso na Central de Triagem, presídio localizado no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.