DELEGACIA DE GOIATUBA – Presa associação criminosa que roubava gado na Região Sul de Goiás

Investigações começaram no final de fevereiro deste ano, após a ocorrência do crime de roubo em uma propriedade rural em Goiatuba, onde as vítimas foram rendidas por cinco autores armados e permaneceram em poder deles, com a liberdade restrita, por cerca de 12 horas


As investigações começaram no final de fevereiro deste ano, após a ocorrência do crime de roubo em uma propriedade rural em Goiatuba, onde as vítimas foram rendidas por cinco autores armados e permaneceram em poder deles, com a liberdade restrita, por cerca de 12 horas – tempo que o grupo utilizou para fechar, apartar e embarcar o gado. Os autores subtraíram cerca de 50 cabeças de gado e dois veículos.

Com a OPERAÇÃO RES FURTIVA deflagrada, a DELEGACIA DE POLÍCIA DE GOIATUBA – que tem como titular o DELEGADO PATRICK CARNIEL – identificou então 11 integrantes da associação criminosa. O trabalho dos profissionais daquela unidade contou com parceria da DELEGACIA DE PONTALINA.

Foram identificados os dois motoristas, bem como os caminhões responsáveis por transportar o gado roubado. A investigação também identificou o produtor rural que adquiriu o gado roubado pelo grupo e conseguiu recuperar com êxito 36 cabeças de gado de propriedade da vítima e que foram subtraídas no roubo, as quais se encontram na fazenda de tal produtor.

Por meio da OPERAÇÃO RES FURTIVA, também foi possível nominar a função de todos os envolvidos. Os líderes eram Roginelio Lima dos Santos (34 anos), responsável pelo planejamento do crime, transporte e destino final dos animais roubados e posterior comercialização; e Wallex Dennys Silva Mariano (26), que em parceria com Roginelio, encabeçou a organização e foi encarregado de planejar e executar os roubos, incluindo a seleção dos comparsas e obtenção de armas de fogo para as ações.

Executaram o roubo, renderam as vítimas e permaneceram com elas em seu poder, separaram e embarcaram o gado: João Victor Sousa e Silva (21 anos), Lucas Cândido de Abreu (25), Luís Carlos Silva Fernandes (25), Wallex Dennys Silva Mariano (26) e Wellington Alves de Oliveira Junior (23).

Os dois motoristas dos caminhões que realizaram o transporte do gado da fazenda da vítima até a cidade de Hidrolândia são: Izaías Cassimiro do Carmo (30 anos) e Rharisson Rezende Nery (26), sendo que a companheira deste os acompanhou e foi identificada como Sandra de Oliveira (33).

O responsável por disponibilizar o local para esconder o gado roubado em Hidrolândia foi Eduardo Fernandes de Oliveira (37) e, apesar do curto espaço de tempo, o gado permaneceu em sua fazenda para que fosse revendido no mercado com aparência de licitude. Eduardo confessou o abate de quatro vacas, as quais também eram de propriedade da vítima, sendo a carne vendida no açougue dele.

Por fim, a POLÍCIA CIVIL também identificou Cleriston Santos Silva (26 anos) que foi o responsável por apresentar Roginelio e Wallex a Eduardo (dono do açougue). Cleriston ainda pagou os executores do roubo e dos caminhoneiros após a venda do gado. De um total de 11 integrantes desta associação criminosa, dez foram presos, após representação pela prisão preventiva e se encontram na Unidade Prisional de Goiatuba. Apenas Lucas Cândido de Abreu encontra-se foragido.