DELEGACIA DE BARRO ALTO – Estelionatário que agia em Goiás e no Mato Grosso é retirado de circulação

Investigações estão a cargo da DELEGADA POLIANA BERGAMO, de Goianésia


Foram vários estelionatos cometidos em Goiânia, Aparecida, Trindade, Goianira, São Miguel do Araguaia e também em Cocalinho (MT). Mas, enfim, José Elias Rodrigues Rabelo, 42, foi preso preventivamente pela Polícia Civil. Com ele foram apreendidos 35 contratos de promessa de compra e venda utilizados para induzir as vítimas em erro, documentos pessoais e de vários veículos, além de diversos comprovantes de depósitos e transferências bancárias.

A DELEGADA DE POLÍCIA DE BARRO ALTO, POLIANA BERGAMO (ela também é titular da DELEGACIA ESPECIALIZADA NO ATENDIMENTO À MULHER DE GOIANÉSIA) e responsável pelo caso, informou que as investigações começaram no final de fevereiro, após denúncia de uma das vítimas de José Elias, que inclusive foi ameaçada de morte por ele. “Nós acreditamos que existam outras vítimas e orientamos que procurem a DELEGACIA para formalizar a denúncia”, explica.

A mulher havia se relacionado com o acusado, que aproveitou o fato de que ela é semianalfabeta e a pressionou para que ela vendesse sua casa. José Elias se apropriou, então, dos R$ 80 mil oriundos da negociação. Ele ainda solicitou cartões de débito e crédito em nome da mulher, que inclusive já recebeu  comunicações de protestos de cheque devolvidos sem fundos. Ela também foi obrigada a assinar dois contratos de compra de ágios de lotes – um em Trindade e outro em  Alexânia. José Elias utilizava estes contratos para cometer os estelionatos.

VÍTIMAS
Em abril último, nova denúncia foi registrada contra ele na DELEGACIA DE BARRO ALTO. A vítima manteve um relacionamento amoroso com ele por aproximadamente três meses.  Em janeiro deste ano, José Elias a levou até a cidade de Anápolis para assinarem uma documentação alegando tratar-se da redução de impostos de uma terra que havia ganhado do INCRA e que sua assinatura era importante, pois ficariam juntos.

A vítima disse que assinou o documento sem lê-lo. No dia 1º de abril, recebeu uma mensagem de uma das vítimas de José Elias dizendo que havia comprado a terra no valor de R$ 200 mil e estava de posse de um documento assinado pela mulher. Além dos casos narrados acima, a Polícia Civil registrou mais seis ocorrências no Estado de Goiás em desfavor de José Elias pelo crime de estelionato.

Ele chegava a oferecer ou anunciar no site OLX um imóvel (chácaras, lotes, terrenos, etc), apresentava às vítimas documentação fraudulenta sobre a regularidade do bem (na maioria dos casos sequer existiam) induzindo-as a erro, e obtendo desse forma vantagem econômica ilícita. Em outros casos, permutava imóveis e carros com as vítimas, que lhe passavam os documentos necessários para a transferência, mas José Elias não honrava a sua parte no negócio, e ainda revendia a outras pessoas os imóveis, causando prejuízos financeiros de grande monta.

Em poder do estelionatário foram encontradas 650 rifas de um sorteio que ocorreu no dia 14 de dezembro, em Barro Alto, que ofertava uma chácara escriturada em Niquelândia, um boi nelore e duas novilhas nelore de um ano. A rifa era vendida a R$ 20.  E 475 rifas de um sorteio de uma chácara escriturada de um alqueire à beira do Rio Araguaia em Cocalinho (MT), que seria realizado no dia 16 de junho, em Caldas Novas. A rifa também estava sendo comercializada por RS 20. As investigações realizadas até o momento apontam que as rifas são fraudulentas.