Aumente a fonte para leitura: A A A A
Aumente a fonte para leitura

Depois de 25 anos como delegada, drª Laudelina assume presidência da ABMCJ

 

Empossada como presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ), a delegada goiana aposentada Laudelina Inácio da Silva iniciará os trabalhos pelo empoderamento feminino. “Inicialmente queremos levar a ABMCJ para cinco estados onde ela ainda não possui representatividade, que são Mato Grosso, São Paulo, Tocantins, Paraná e Rondônia”.

Segundo a delegada, nos últimos anos as mulheres se tornaram maioria no ingresso da carreira jurídica, mas o acesso aos cargos de liderança ainda são restritos. “As mulheres estão entre 75% dos estudantes de Direito, são mais de 70% dos aprovados em concursos públicos e ainda ocupam a minoria dos cargos de direção, normalmente escolhidos por homens”, calcula.

A atuação da ABMCJ já mostrou resultados muito representativos no Brasil. “Hoje, 95% das mulheres que ocupam os Tribunais Superiores, como, por exemplo, Eliana Calmon e Ellen Grace, são associadas e estão lá pelos trabalhos delas e da ABMCJ”, revela a presidente da entidade.

Natural de Buriti Alegre (GO), Drª Laudelina Inácio da Silva é casada, tem quatro filhos e nove netos. Iniciou sua carreira como advogada, foi conselheira da OAB e delegada da Polícia Civil de Goiás por 25 anos. Ela é mestre em Ciências Penais pela UFG e doutora em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade do Museu Social Argentino, de Buenos Aires. Agora, além dos trabalhos frente à ABMCJ, ela pretende voltar a advogar.

A Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica foi fundada em 1985 e é uma organização não governamental de mulheres juristas cujo objetivo é lutar contra todas as formas de discriminação contra o público feminino.

Laudelina sóLaudelina